O impacto da musicoterapia em crianças autistas.

Rate this post
A musicoterapia é uma forma de terapia que utiliza a música como meio de comunicação e expressão emocional. Pode ser praticado individualmente ou em grupo e é frequentemente utilizado como parte de um tratamento multidisciplinar para pessoas com uma série de doenças, incluindo oautismo.

A musicoterapia tem uma longa história, que remonta aos tempos antigos. Os gregos antigos já utilizavam a música como meio de cura e de alívio do stress. Ao longo dos séculos, a musicoterapia evoluiu e tornou-se uma disciplina profissional reconhecida. Atualmente, é utilizada em todo o mundo para tratar uma série de problemas de saúde física e mental.

Dificuldades de comunicação em crianças autistas

As crianças com autismo têm muitas vezes dificuldade em comunicar. Podem ter problemas de linguagem, como dificuldade em falar, compreender ou utilizar as palavras de forma adequada. Eis alguns exemplos de dificuldades de comunicação em crianças autistas:

  • Atraso no desenvolvimento da linguagem: Algumas crianças com autismo podem demorar mais tempo do que os seus pares a desenvolver competências linguísticas.
  • Dificuldade em compreender palavras não verbais: As crianças com autismo podem ter dificuldade em compreender gestos, expressões faciais e tons de voz.
  • Voz monótona: Algumas crianças autistas podem falar num tom monótono, sem entoação ou emoção.
  • Dificuldade em manter uma conversa: As crianças com autismo podem ter dificuldade em estabelecer e manter uma conversa com os outros.

Comportamento repetitivo e restrito

Para além das dificuldades de comunicação, as crianças autistas apresentam frequentemente comportamentos repetitivos e restritos. Estes comportamentos podem manifestar-se de diferentes formas:

  • Rotinas rígidas: Algumas crianças autistas precisam de seguir rotinas muito rígidas e podem ter dificuldade em adaptar-se a mudanças.
  • Interesses restritos: As crianças com autismo podem ter interesses muito específicos e intensos em determinados assuntos e podem ter dificuldade em interessar-se por outras áreas.
  • Aversões sensoriais: Algumas crianças com autismo são sensíveis a estímulos sensoriais, como ruídos altos, luzes brilhantes ou texturas invulgares.
  • Movimentos repetitivos: As crianças com autismo podem fazer movimentos repetitivos, como balançar, bater palmas ou girar em círculos.

Dificuldade em estabelecer relações sociais

As crianças com autismo podem também ter dificuldade em estabelecer relações sociais com os outros. Eis alguns exemplos destas dificuldades:

  • Falta de interação social espontânea: As crianças com autismo podem ter dificuldade em iniciar interacções sociais com os outros.
  • Dificuldade em compreender as emoções das outras pessoas: As crianças com autismo podem ter dificuldade em reconhecer e compreender as emoções das outras pessoas.
  • Dificuldade em fazer amigos: As crianças com autismo podem ter dificuldade em desenvolver amizades e manter relações sociais.
  • Evitar o contacto visual: Algumas crianças com autismo podem evitar o contacto visual, o que pode dificultar a interação social.

Na próxima secção, damos-te alguns conselhos práticos sobre como ajudar o teu filho autista a ultrapassar estas dificuldades e a desenvolver as suas competências sociais.

Melhorar a comunicação através da música

A musicoterapia oferece às crianças autistas um meio de expressão emocional através da música. Ao utilizarem esta forma de comunicação não verbal, conseguem exprimir as suas emoções de forma mais fácil e natural. Por exemplo, uma criança autista pode tocar um instrumento musical para exprimir alegria, tristeza ou raiva, quando a fala pode ser mais difícil.

Desenvolver competências sociais

A musicoterapia também ajuda as crianças autistas a desenvolverem competências sociais. Ao participarem em actividades de musicoterapia em grupo, têm a oportunidade de interagir com outras crianças e aprender a partilhar, a revezar-se e a trabalhar em equipa. Por exemplo, durante uma improvisação musical colectiva, as crianças podem aprender a ouvir os outros, a adaptar-se ao seu modo de tocar e a cooperar para criar harmonia musical.

Redução do stress e da ansiedade

A música tem um efeito calmante no sistema nervoso, o que a torna uma ferramenta valiosa para reduzir o stress e a ansiedade das crianças autistas. As crianças com autismo são frequentemente sensíveis a estímulos sensoriais e podem sentir-se facilmente sobrecarregadas. A musicoterapia ajuda-os a relaxar e a acalmar-se, graças aos sons harmoniosos e cuidadosamente pensados que produz. Por exemplo, uma criança autista pode ouvir música suave e relaxante para encontrar uma sensação de calma e reduzir os níveis de stress.

Através da musicoterapia, as crianças autistas podem encontrar uma nova forma de expressão, desenvolver as suas competências sociais e aprender a gerir o seu stress e ansiedade. É uma abordagem terapêutica complementar que pode apoiar outros métodos utilizados para ajudar as crianças autistas no seu desenvolvimento.

Musicoterapia recetiva: exprimir as tuas emoções e desenvolver a tua sensibilidade musical

A musicoterapia recetiva consiste em ouvir música e reagir a ela de forma emocional. Dá às crianças autistas a oportunidade de exprimirem as suas emoções de uma forma diferente. Ouvindo atentamente a música, podem entrar em contacto com os seus sentimentos e expressá-los de forma não verbal. Isto pode ser particularmente benéfico para as crianças que têm dificuldade em exprimir as suas emoções de forma convencional.

A musicoterapia recetiva também ajuda a desenvolver a sensibilidade musical das crianças. São expostos a diferentes géneros musicais e aprendem a apreciar e a compreender a música de uma forma diferente. Isto pode estimular a sua criatividade e abrir novas perspectivas.

Musicoterapia ativa: desenvolver as capacidades motoras e a autoestima

A musicoterapia ativa envolve tocar um instrumento musical ou cantar. Esta forma de terapia permite que as crianças desenvolvam as suas capacidades motoras enquanto se divertem. Ao tocar um instrumento, trabalha a sua coordenação, destreza e precisão.

Além disso, tocar um instrumento ou cantar pode ajudar a melhorar a autoestima das crianças autistas. Cada passo que dão na sua prática musical ajuda-os a ganhar confiança e a sentirem-se valorizados. Podem sentir um grande orgulho quando conseguem tocar uma melodia ou cantar uma canção.

Musicoterapia improvisada: estimular a criatividade e a expressão individual

A terapia musical improvisada permite que as crianças autistas criem a sua própria música utilizando instrumentos ou a sua voz. Isto pode ser extremamente benéfico para estimular a sua criatividade e permitir-lhes exprimir a sua individualidade.

Ao improvisar, as crianças são livres de explorar diferentes sons, ritmos e melodias. Podem dar largas à sua imaginação e exprimir as suas emoções de uma forma única e pessoal. Esta forma de terapia pode encorajar a autonomia e a auto-expressão das crianças autistas.

Melhorar a tua capacidade de comunicação

A musicoterapia pode ajudar as crianças autistas a melhorar as suas capacidades de comunicação. Ao utilizar a música como meio de expressão, as crianças podem aprender a comunicar os seus pensamentos e emoções de forma não verbal. Por exemplo, ao utilizarem instrumentos musicais ou ao cantarem, as crianças podem exprimir os seus sentimentos sem terem de usar palavras. Isto pode ser particularmente benéfico para as crianças que têm dificuldade em exprimir-se verbalmente.

Desenvolver competências sociais

A musicoterapia também oferece às crianças autistas a possibilidade de desenvolverem as suas capacidades sociais. Ao participar em actividades de musicoterapia em grupo, as crianças são encorajadas a interagir com os seus pares e a trabalhar em equipa. Por exemplo, a dramatização musical pode ser utilizada para ajudar as crianças a aprender a cooperar, a partilhar e a tomar decisões em grupo. Estas actividades podem promover o desenvolvimento de competências sociais essenciais e ajudar as crianças a sentirem-se mais à vontade em situações sociais.

Aumenta a autoestima

A musicoterapia também pode ajudar a aumentar a autoestima das crianças autistas. Ao tocarem com sucesso um instrumento musical ou ao participarem numa atuação musical, as crianças podem sentir-se realizadas e orgulhosas. Isto pode aumentar a sua auto-confiança e encorajá-los a sentirem-se valorizados.

Redução do stress e da ansiedade

A musicoterapia também pode ser benéfica para reduzir o stress e a ansiedade das crianças autistas. A música tem um efeito calmante no sistema nervoso, o que pode ajudar as crianças a relaxar e a acalmar-se. Por exemplo, criar listas de reprodução com música suave e relaxante pode ajudar as crianças a relaxar quando se sentem stressadas ou ansiosas.

Em conclusão, a musicoterapia oferece muitos benefícios às crianças com autismo, tais como a melhoria das capacidades de comunicação, o desenvolvimento de competências sociais, o aumento da autoestima e a redução do stress e da ansiedade. Ao utilizar a música como ferramenta terapêutica, as crianças podem descobrir novas formas de exprimir as suas emoções, de se relacionarem com os outros e de se sentirem melhor consigo próprias.

Os resultados da musicoterapia para crianças autistas

Foram efectuados numerosos estudos para avaliar a eficácia da musicoterapia com crianças autistas, e os resultados são geralmente positivos. Por exemplo, um estudo demonstrou que a musicoterapia pode ajudar a melhorar as capacidades de comunicação das crianças autistas, nomeadamente no que diz respeito à expressão emocional.

Outro estudo revelou que a musicoterapia pode ajudar a reduzir o comportamento repetitivo e restrito das crianças autistas, oferecendo-lhes uma alternativa criativa para se expressarem.

Por último, vários estudos demonstraram que a musicoterapia pode ajudar a reduzir o stress e a ansiedade das crianças autistas, oferecendo-lhes uma forma de relaxar e de se acalmarem.

Técnicas utilizadas na musicoterapia para crianças autistas

Existem várias técnicas específicas utilizadas na musicoterapia para ajudar as crianças autistas. O canto terapêutico, por exemplo, consiste em utilizar canções especialmente adaptadas para ajudar as crianças a desenvolver as suas capacidades de comunicação e a exprimir as suas emoções.

Outra técnica muito utilizada é a dançaterapia, que utiliza o movimento do corpo ao ritmo da música para ajudar as crianças a desenvolver a coordenação motora e a consciência corporal.

Finalmente, o relaxamento guiado é uma técnica utilizada para ajudar as crianças autistas a relaxar e a acalmar-se. Isto pode ser conseguido utilizando técnicas de respiração profunda e de visualização guiada, combinadas com música relaxante.

Os limites da musicoterapia para crianças autistas

Embora a musicoterapia possa ser benéfica para muitas crianças autistas, não é adequada para todos. Algumas crianças podem não ser receptivas à musicoterapia ou podem preferir outras formas de terapia.

Além disso, a musicoterapia não pode resolver todos os problemas associados aoautismo. É importante ter em conta as necessidades individuais de cada criança e consultar um profissional qualificado para determinar se a musicoterapia é a melhor opção de tratamento.

Como posso encontrar um musicoterapeuta para o meu filho autista?

Quando se trata de encontrar um musicoterapeuta qualificado para o teu filho autista, é importante fazeres uma pesquisa exaustiva e pedires recomendações. É aconselhável consultar as associações profissionais de musicoterapia para encontrar terapeutas qualificados na tua área.

Também é importante conhecer pessoalmente o musicoterapeuta antes de iniciar o tratamento para garantir que existe uma boa ligação e que o terapeuta compreende as necessidades específicas do teu filho.

Testemunhos de pais e crianças que beneficiaram da musicoterapia

Muitos pais e crianças testemunharam os benefícios da musicoterapia para crianças autistas. Por exemplo, um pai disse que a musicoterapia tinha ajudado o seu filho a melhorar as suas capacidades de comunicação e a exprimir as suas emoções de uma forma mais positiva.

Outro pai disse que a musicoterapia ajudou o seu filho a desenvolver competências sociais e a sentir-se mais à vontade em situações sociais.

Em conclusão, a musicoterapia pode ser uma forma eficaz de tratamento para crianças autistas. Pode ajudar a melhorar a comunicação, as competências sociais e o bem-estar emocional das crianças autistas. É importante encontrar um musicoterapeuta qualificado e ter em conta as necessidades individuais de cada criança, a fim de maximizar os benefícios da musicoterapia.

E PARA MAIS INFORMAÇÕES

E PARA MAIS INFORMAÇÕES

COCO, PARA CRIANÇAS AUTISTAS

 

COCO é um programa adaptado para crianças autistas que oferece uma coleção de jogos educativos e cognitivos. Os níveis de dificuldade crescentes permitem que as crianças progridam ao seu próprio ritmo. É também essencial fazer uma pausa desportiva a cada 15 minutos de tempo de ecrã para evitar a dependência.

ACOMPANHA UMA CRIANÇA AUTISTA

Neste guia, vamos dar-te conselhos práticos sobre como ajudar uma criança com autismo e como estimular e criar laços com ela. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados.

Ler

FERNANDO, PARA ADULTOS AUTISTAS

Adaptado a adultos com autismo, o programa FERNANDO propõe uma série de jogos para desenvolver os conhecimentos, melhorar a concentração e reforçar as capacidades mentais. FERNANDO foi concebido para ser acessível a todos, mantendo-se ao mesmo tempo atento à saúde mental.

APOIAR UM ADULTO COM AUTISMO

Neste guia, damos-te conselhos práticos sobre como apoiar, estimular e criar laços com um adulto com autismo. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados. Exercícios para trabalhar todos os aspectos.

Outros artigos que te podem interessar: