Qual é a importância de manter uma rotina para as pessoas com autismo?

Rate this post

Não percebes porque é que têm de ser criadas rotinas para pessoas com autismo? Tens dificuldade em compreender este modo de vida? Descobre mais sobre as rotinas de que as pessoas autistas precisam! Estás pronto para saber mais? Este é o lugar a ser!

 

Porque é que uma pessoa autista precisa de uma rotina?

 

Viver com autismo pode apresentar desafios únicos e complexos. Entre as muitas facetas da vida quotidiana das pessoas com autismo, o estabelecimento e a manutenção de rotinas desempenham um papel crucial. Neste artigo, vamos explorar em profundidade a razão pela qual as rotinas são tão essenciais para as pessoas com autismo, analisando os benefícios que oferecem e dando exemplos concretos do seu impacto positivo.

 

Compreender a importância das rotinas para as pessoas com autismo

  • Desafios da imprevisibilidade para as pessoas com autismo : As pessoas com autismo podem ter particular dificuldade em lidar com a imprevisibilidade do seu ambiente. Para muitos deles, as mudanças súbitas ou acontecimentos inesperados podem ser uma fonte de ansiedade e confusão. Ao contrário de algumas pessoas que se adaptam facilmente a novas situações, as pessoas com autismo podem ter dificuldade em compreender e integrar mudanças súbitas na sua rotina diária.

    A imprevisibilidade pode assumir muitas formas, desde pequenas alterações no horário diário até acontecimentos mais significativos, como uma mudança de casa ou alterações na estrutura familiar. Para uma pessoa com autismo, mesmo uma mudança aparentemente insignificante pode causar um sofrimento significativo e perturbar o seu equilíbrio emocional.

    Por exemplo, imagina um adolescente autista que segue um horário rigoroso todos os dias depois da escola: chega a casa, come um lanche, faz os trabalhos de casa e depois joga videojogos durante algum tempo antes do jantar. Se um dia a família decidir espontaneamente levá-lo a um passeio familiar depois da escola, sem aviso prévio, isso pode perturbar toda a sua rotina e desencadear um ataque de ansiedade.

  • Necessidade de estabilidade e segurança : As pessoas com autismo podem frequentemente sentir uma profunda necessidade de estabilidade e segurança no seu ambiente. Para muitos deles, o mundo pode parecer caótico, imprevisível e difícil de compreender. Mudanças repentinas ou situações novas podem desencadear ansiedade, uma vez que perturbam a sensação de controlo e familiaridade que as pessoas com autismo procuram. O As rotinas proporcionam um enquadramento estruturado e previsível que ajuda a reduzir esta ansiedade. Ao seguir sequências regulares e familiares de acções, as pessoas com autismo podem sentir-se mais em controlo do seu ambiente e mais bem preparadas para enfrentar os desafios do dia a dia. Esta previsibilidade permite-lhes planear as suas acções e saber o que esperar, o que reduz a sua ansiedade e stress.

    Por exemplo, uma criança autista que segue uma rotina precisa todas as manhãs antes de ir para a escola: levanta-se à mesma hora, toma o pequeno-almoço, veste-se, lava os dentes e sai para a escola. Esta rotina proporciona uma estrutura tranquilizadora que lhes permite começar o dia de uma forma calma e organizada. Sem esta rotina, podem sentir-se desorientados e ansiosos, o que pode afetar a sua capacidade de funcionar eficazmente.

Benefícios das rotinas para as pessoas com autismo

  • Reduzir a ansiedade: A ansiedade é uma realidade diária para muitas pessoas com autismo, e as rotinas desempenham um papel crucial na gestão deste desafio. Ao proporcionar uma estrutura previsível e familiar, as rotinas ajudam a reduzir os sentimentos de incerteza e ansiedade que podem surgir quando o mundo parece caótico e imprevisível. Quando as pessoas com autismo sabem o que esperar do seu dia, podem sentir-se mais em controlo do seu ambiente e mais bem preparadas para enfrentar os desafios que vão surgindo. Isto pode reduzir os seus níveis de ansiedade e permitir-lhes navegar mais eficazmente na sua vida quotidiana.

Vejamos o exemplo de um adulto autista que trabalha num escritório. Ao seguir uma rotina matinal bem estabelecida – levantar-se à mesma hora, seguir o mesmo caminho para o trabalho e começar o dia com tarefas específicas – esta pessoa pode sentir-se mais calma e mais confiante no início do seu dia de trabalho. Esta rotina dá-lhe uma sensação de previsibilidade e estabilidade, o que a ajuda a lidar melhor com as exigências do seu trabalho.

  • Melhora a concentração e o desempenho: As pessoas com autismo podem muitas vezes ter dificuldade em concentrar-se e manter a atenção, especialmente em ambientes onde a incerteza e a mudança são omnipresentes. As rotinas proporcionam uma estrutura e previsibilidade que ajudam a aliviar estes desafios e promovem uma melhor concentração e desempenho em várias áreas da vida. Ao eliminar as distracções associadas à imprevisibilidade, as rotinas permitem que as pessoas com autismo canalizem a sua energia e atenção de forma mais eficaz. Em vez de terem de se adaptar constantemente a novas situações ou mudanças inesperadas, podem concentrar-se nas tarefas que têm em mãos com maior clareza e eficiência.

 

Quais são os diferentes tipos de rotinas que podem ser implementadas?

As rotinas também proporcionam um enquadramento estável e familiar que pode ajudar a reduzir a ansiedade do desempenho. Ao saber o que esperar em diferentes situações, as pessoas com autismo podem sentir-se mais confiantes para enfrentar os desafios e exprimir todo o seu potencial.

É importante notar que uma pessoa com autismo pode ter rotinas a diferentes níveis, que vão muito além de simples horários ou actividades diárias. Para compreenderes melhor a importância e a diversidade destas rotinas, vamos analisar alguns aspectos específicos:

1. Saídas :
Sair de casa é uma parte essencial da vida quotidiana de muitas pessoas, incluindo as que têm autismo. Para uma pessoa com autismo, é crucial ter horários precisos para saber quando será levada à escola, quando regressará ou quando participará noutras actividades planeadas. Esta previsibilidade ajuda a reduzir a ansiedade associada à incerteza e permite que a pessoa se prepare melhor mentalmente para estes acontecimentos.

2. Novas pessoas :
A introdução de novas pessoas na vida de uma pessoa com autismo pode ser uma fonte de stress e ansiedade. Quer seja na escola, num contexto social ou em casa, conhecer novas pessoas pode perturbar a rotina estabelecida de uma pessoa autista. É importante ter em conta esta sensibilidade e apresentar novas pessoas gradualmente, fornecendo informações prévias e criando um ambiente seguro e tranquilizador.

3. Novos locais :
As pessoas com autismo podem ser sensíveis a mudanças no seu ambiente, mesmo em locais familiares. Visitar novos lugares pode ser assustador e inquietante para eles. Por isso, é crucial planear cuidadosamente as visitas a novos lugares, fornecendo informação prévia sobre o que esperar e respeitando a necessidade da pessoa autista de manter uma certa rotina e previsibilidade, mesmo em contextos novos ou desconhecidos.

4. Organiza o ambiente familiar :
A organização e a rotina no ambiente familiar são muito importantes para as pessoas com autismo. As actividades como as refeições, o banho e a hora de dormir devem ser regulares e previsíveis. Isto permite que a pessoa autista se sinta segura e em controlo do seu ambiente familiar, promovendo assim o seu bem-estar e estabilidade emocional.

Ao compreendermos e respeitarmos estes diferentes aspectos das rotinas das pessoas com autismo, podemos ajudar a criar ambientes que promovam o seu conforto, segurança e realização. Adaptar a nossa abordagem para ter em conta estas necessidades específicas pode fazer uma diferença significativa na vida quotidiana destas pessoas.

     

    O que podes fazer se a rotina em questão se tornar um problema diário?

     

    Embora as rotinas possam oferecer estabilidade e conforto a uma pessoa com autismo, é importante reconhecer que, em alguns casos, elas podem tornar-se excessivamente rígidas e criar dificuldades. Quando uma pessoa com autismo se torna independente, pode ter medo de perder as suas rotinas estabelecidas ou de deixar de ser tão organizada como gostaria. Nestas situações, é essencial adotar uma abordagem proactiva para gerir as rotinas de forma adequada e evitar que se tornem um obstáculo ao bem-estar diário.

    Seguem-se algumas estratégias a considerar se a rotina de uma pessoa autista for um problema:

    • Altera as rotinas gradualmente: Quando as rotinas começam a tornar-se demasiado rígidas ou restritivas, pode ser benéfico introduzir pequenas alterações gradualmente. Por exemplo, alterar ligeiramente a ordem das actividades diárias ou introduzir novas actividades pode ajudar a alargar o leque de flexibilidade da pessoa autista e a reduzir a sua excessiva dependência das rotinas.

    • Encorajar a adaptabilidade: Encoraja as pessoas com autismo a desenvolverem capacidades de adaptação, ensinando-lhes estratégias para gerirem mudanças inesperadas e se adaptarem a novas situações. Isto pode incluir técnicas de gestão do stress, como a respiração profunda ou a visualização positiva, bem como formas práticas de planear e organizar actividades sem estar totalmente dependente de rotinas pré-estabelecidas.

    • Promover a autonomia e a independência: Incentiva as pessoas com autismo a tomarem decisões e a participarem ativamente no planeamento das suas próprias rotinas. Isto pode ajudar a reforçar o seu sentido de independência e dar-lhes mais controlo sobre a sua vida quotidiana. Envolve-os nas discussões sobre os ajustamentos às suas rotinas e ouve atentamente as suas preocupações e necessidades.

    • Oferecer apoio emocional e prático: Fica atento aos sinais de angústia ou ansiedade relacionados com as rotinas e oferece apoio emocional e prático à pessoa com autismo. Isto pode incluir uma discussão aberta sobre as tuas preocupações, sessões de relaxamento ou consultas com profissionais de saúde mental especializados no apoio a pessoas com autismo.

    Ao implementar estas estratégias e ao adotar uma abordagem proactiva e colaborativa, é possível gerir eficazmente as rotinas de uma pessoa com autismo e promover o seu bem-estar geral. O objetivo é encontrar um equilíbrio entre estrutura e flexibilidade, permitindo que as pessoas com autismo se desenvolvam plenamente na sua vida quotidiana.

     

    Uma ferramenta para melhorar a qualidade de vida das pessoas com autismo

    o meu dico-joe-edith-app-adult-application-cerebral-training-coach-cerebral-games-cognitive-logic-culture-memory-fun-dynseo-ludic-animation-persons-age-alzheimer-activities-senior-activities-seniors-stimulation-tablet-smartphone-parkinson-troubles-troubles

     

    No âmbito da gestão das rotinas e do apoio às pessoas com autismo, estão a ser desenvolvidas ferramentas inovadoras para responder às suas necessidades específicas. Mon Dico é uma dessas ferramentas, uma aplicação para tablet concebida para ajudar as pessoas a exprimirem os seus desejos e necessidades de uma forma eficaz e personalizada.

    Mon Dico oferece uma solução prática e acessível para ajudar as pessoas com autismo a comunicar os seus desejos, preferências e necessidades numa variedade de contextos quotidianos. A aplicação oferece um banco de imagens organizado em 6 temas principais, abrangendo uma vasta gama de situações e actividades. Estes temas são totalmente personalizáveis, permitindo a cada utilizador criar um vocabulário visual adaptado às suas necessidades e interesses específicos.

    Com Mon Dico, as pessoas com autismo podem utilizar imagens para expressar as suas escolhas alimentares, actividades favoritas, emoções, necessidades de conforto, interacções sociais e muito mais. Ao utilizar imagens em vez de palavras, a aplicação oferece um método de comunicação alternativo e aumentativo que pode ser mais facilmente acessível a muitas pessoas com autismo, em especial àquelas que têm dificuldades com a linguagem verbal.

    Ao oferecer um meio de comunicação visual prático e personalizável, Mon Dico ajuda a melhorar a qualidade de vida das pessoas com autismo, dando-lhes voz para exprimirem as suas necessidades e preferências. Ao integrar esta ferramenta nas rotinas diárias e nas interacções sociais, é possível promover a inclusão e o bem-estar das pessoas com autismo, oferecendo-lhes um meio eficaz de participarem plenamente na vida da sua comunidade.

    E PARA MAIS INFORMAÇÕES

    E PARA MAIS INFORMAÇÕES

    COCO, PARA CRIANÇAS AUTISTAS

     

    COCO é um programa adaptado para crianças autistas que oferece uma coleção de jogos educativos e cognitivos. Os níveis de dificuldade crescentes permitem que as crianças progridam ao seu próprio ritmo. É também essencial fazer uma pausa desportiva a cada 15 minutos de tempo de ecrã para evitar a dependência.

    ACOMPANHA UMA CRIANÇA AUTISTA

    Neste guia, vamos dar-te conselhos práticos sobre como ajudar uma criança com autismo e como estimular e criar laços com ela. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados.

    Ler

    FERNANDO, PARA ADULTOS AUTISTAS

    Adaptado a adultos com autismo, o programa FERNANDO propõe uma série de jogos para desenvolver os conhecimentos, melhorar a concentração e reforçar as capacidades mentais. FERNANDO foi concebido para ser acessível a todos, mantendo-se ao mesmo tempo atento à saúde mental.

    APOIAR UM ADULTO COM AUTISMO

    Neste guia, damos-te conselhos práticos sobre como apoiar, estimular e criar laços com um adulto com autismo. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados. Exercícios para trabalhar todos os aspectos.

    Outros artigos que te podem interessar: