Compreender as emoções das pessoas com autismo

Rate this post

As emoções são muitas vezes difíceis de compreender e interpretar, mesmo em pessoas que não sofrem de qualquer perturbação. Por isso, é normal que tenhas alguma dificuldade em compreender as emoções transmitidas por alguém que funciona de forma diferente de ti, ou que sofre de uma perturbação como a perturbação do espetro do autismo (PEA).

Isto não significa que não sejas capaz de compreender e interpretar as emoções das outras pessoas; simplesmente tens de dedicar algum tempo a identificar os códigos e a decifrar as diferentes emoções. Por isso, elaborámos um artigo que te dá muitas explicações e conselhos para compreenderes as emoções. Por isso, continua a ler e descobre mais!

Expressa emoções diferentes

Nunca é fácil reconhecer e interpretar corretamente as emoções, mesmo as tuas. As crianças com autismo também têm dificuldade em expressar os seus sentimentos da forma correcta e em partilhá-los adequadamente. Quer uma pessoa seja autista ou não, terá de passar por fases específicas para transmitir uma emoção da forma correcta.

Podes transmitir emoções através de expressões faciais, movimentos e posições do corpo, ou mesmo através do som da tua voz. A expressão dos sentimentos pode ser mais ou menos complexa e tens vindo a trabalhar nisso sem te aperceberes, desde o nascimento, tal como uma pessoa autista, mesmo que a evolução seja diferente.

Para uma criança com autismo, será particularmente difícil reconhecer as emoções dos outros e, por isso, pode comportar-se de forma inadequada.

Por isso, é importante prestar atenção ao comportamento das crianças com autismo para as poder apoiar no seu desenvolvimento.

 

A emoção numa pessoa com autismo

Uma pessoa autista sentirá emoções e quererá transmiti-las aos que a rodeiam. No entanto, não é raro encontrar certas dificuldades em exprimir-se. A pessoa pode comportar-se de forma aparentemente contraditória. Pode gritar como se estivesse chateada quando está desconfortável, ou pode não responder a uma pergunta se estiver contente com outra coisa.

As pessoas com perturbações do espetro do autismo também encontram alguns obstáculos no reconhecimento de várias expressões faciais. Também terá dificuldade em comunicar imitando as expressões emocionais de outras pessoas, o que lhe dificultará a compreensão das suas próprias emoções e a sua interpretação correcta no dia a dia.

É importante perceberes que os códigos emocionais de uma pessoa autista são diferentes e que não é fácil para ninguém compreender a forma como as emoções são expressas. É preciso paciência e observação para interpretar corretamente cada sinal.

As pessoas com autismo reconhecem emoções diferentes de formas diferentes e algumas são mais difíceis de analisar do que outras. Por isso, não é de surpreender que as pessoas com autismo sejam desajeitadas quando se trata de expressar certas emoções ao longo da vida.

 

Compreender as diferentes emoções

Para compreenderes as tuas emoções, pões-lhes palavras e hábitos. O mesmo se aplica às emoções das pessoas autistas, embora os códigos sejam diferentes. De facto, um bebé autista desenvolve-se de uma certa maneira e aprende a transmitir as suas emoções de uma forma distinta. Muitas vezes, podemos ver semelhanças com o desenvolvimento de um bebé típico quando analisamos a evolução das emoções de uma pessoa com uma perturbação do espetro do autismo.

Apesar de as emoções serem transmitidas através de gestos à medida que crescemos, existem muitas vezes obstáculos à verbalização de certos sentimentos. Este problema leva muitas vezes as pessoas a pensar que uma pessoa autista é desprovida de sentimentos, quando esta ideia é totalmente falsa.

É importante compreender que as pessoas autistas têm muitas vezes dificuldade em exprimir os seus sentimentos de forma eficaz, e este embaraço pode rapidamente tornar-se um fardo. Encontra, portanto, obstáculos quando interage com os outros, porque os seus códigos são diferentes. É importante dedicar algum tempo a ouvir uma pessoa autista, a compreender os seus códigos e a sua linguagem. Isto permitir-te-á decifrar as emoções corretamente e reagir de forma adequada. E não esqueçamos que uma pessoa autista que é compreendida terá mais facilidade em ganhar autoconfiança e tentar desenvolver a sua linguagem emocional para ir ainda mais longe nas suas trocas.

Por isso, tens de aprender a ler as emoções e ajudar a outra pessoa a fazer o mesmo com os teus sentimentos. As pessoas com autismo analisam frequentemente as emoções de forma diferente e interpretam mal as tuas emoções, o que pode ser confuso. Ela terá tempo para enfrentar os desafios para gerir melhor a sua compreensão dos outros, aproveitando a tua paciência para se sentir compreendida por outra pessoa. Por isso, tens de ser paciente.

 

Gerir as emoções

Gerir as emoções nem sempre é fácil. Para as crianças com autismo é ainda mais difícil.

Como têm dificuldade em compreender as emoções, quando estas são fortes, as crianças ficam desorientadas e não compreendem o que lhes está a acontecer.

A emoção toma conta da criança. Se estiver muito contente, pode correr ou gritar; se estiver aborrecido, pode atirar coisas e bater nas pessoas; se estiver numa situação de stress, pode começar a magoar-se ou a bater com a cabeça na parede. Neste caso, é importante que não entres em pânico ou grites. Tens de te colocar ao nível da criança e tentar dizer-lhe que compreendes a sua emoção. Podes colocar a tua mão no peito dele para o ajudar a recuperar o fôlego.

Em casos extremos, podes tranquilizá-lo dando-lhe um abraço suave até que o choro, a raiva ou outras emoções desapareçam. Podes, portanto, colocar os braços à volta da criança para bloquear o seu movimento. Os teus braços devem ser estáveis para evitar que a criança se afaste, mas não devem ser rígidos (se a criança sentir rigidez, também se tornará mais rígida). Uma vez nesta posição, respira profunda e lentamente para acalmar a criança.

Para antecipar situações de crise, podes brincar com eles, o que pode desviar a sua atenção de uma fonte de desconforto.

Podes também utilizar livros ou jogos adaptados às crianças para as ajudar a compreender as suas emoções.
Também podes criar um espaço emocional em casa. Este espaço pode ser um canto onde há almofadas ou objectos e para onde a criança pode ir quando começa a ficar chateada.
Também podes trabalhar estratégias com as crianças. Por exemplo, respira fundo ou canta uma canção de que gostem.

 

Mon Dico,

a ferramenta para compreender os desejos e as emoções

Mon Dico é uma aplicação para tablet que permite às pessoas exprimirem os seus desejos e necessidades através de um banco de imagens agrupadas em 6 temas totalmente personalizáveis.

Esta aplicação pode ser utilizada com crianças que têm dificuldades de linguagem. Isto permitirá às crianças exprimir pensamentos mais complexos e aprender novas palavras para alargar o seu vocabulário.

Mon Dico é também muito útil para comunicar emoções. As crianças podem aprender a descrever ou a exprimir as suas emoções e, mesmo nos acessos de raiva, podem tornar-se um instrumento intermediário de comunicação.
A possibilidade de personalizar as imagens permite que as crianças tenham representações do seu ambiente e, por conseguinte, sejam capazes de comunicar mais facilmente.

COCO PENSA e COCO SE MEXE, uma aplicação para jogos educativos e desportivos

Coco é uma aplicação com mais de 30 jogos educativos para melhorares as funções cognitivas enquanto te divertes. Há jogos sobre a atenção, a memória, a linguagem e a lógica.

Todos estes jogos foram concebidos para apoiar o desenvolvimento da criança com actividades adaptadas às suas necessidades. Uma criança com autismo pode ter dificuldades em várias áreas.
Ter uma aplicação que segue a criança a nível global pode ajudá-la no seu desenvolvimento.

 

Reconhecer as emoções com COCO BOUGE

Após 15 minutos no ecrã, a aplicação COCO PENSA e COCO SE MEXE pára e sugere actividades físicas. As actividades dinâmicas são importantes para as crianças com autismo. Através destas actividades, as crianças podem aprender a conhecer melhor o seu corpo e a controlar os seus movimentos. Além disso, tem de aprender a adaptar-se a estímulos externos, como tocar música.

Na pausa desportiva COCO BOUGE, não há apenas jogos puramente físicos, mas também um jogo que te ajuda a aprender a reconhecer as emoções: “Mímica de uma emoção”.

home-coco-bouge-jogos-educativos-crianças-coco-aplicação-tabela

Imita uma emoção

Neste jogo, a criança tem de olhar para a emoção que aparece no ecrã e reproduzi-la.

As crianças podem aprender a reconhecer as emoções graças a imagens e instruções áudio que explicam a emoção em si. As crianças podem assim aprender a reconhecer as emoções em si próprias e nos outros.

Além disso, ao clicares no ponto de interrogação, podes aprender sobre as diferentes emoções para as reconheceres mais facilmente.

A SURPRESA

Surpresa significa seres surpreendido por um momento, uma pessoa ou um objeto. Como um presente inesperado!

Quando te surpreendes, abres bem a boca e os olhos.

A CONFUSÃO

A confusão é a perda de ideias devido a um acontecimento, por exemplo. Podes dizer mal o nome de alguém ou de alguma coisa.

Para imitar a confusão, abre bem os olhos, faz um grande som de “Hoo” com a boca e levanta as sobrancelhas.

INSPIRAÇÃO

A inspiração é a nossa capacidade de imaginar e criar coisas como desenhos, poemas e histórias.

Para nos inspirarmos, semicerramos os olhos, coçamos ligeiramente a cabeça com um sorriso e fingimos pintar, escrever ou desenhar.

A AFECÇÃO

Afeto significa ser tocado, ter pensamentos positivos para um amigo, familiar ou animal de estimação.

Aqui, sorrimos, pensamos nos bons momentos, podemos dar abraços e beijos uns aos outros e podemos dizer aos nossos amigos que gostamos deles.

.

ENNUI

O tédio está presente quando nos encontramos numa situação que não nos interessa. Não queres ouvir a pessoa que está à tua frente ou não queres fazer alguma coisa.

Para o tédio, sopramos com força, olhamos para cima e para os lados.

DOR

A dor é uma sensação desagradável que pode doer. Um acidente pode provocar dores físicas. A dor também pode ser um sentimento de falta de alguém ou de alguma coisa ou de tristeza.

Para exprimir a dor, erguemos as sobrancelhas, semicerramos os olhos e fazemos uma careta com o rosto.

Descobre a aplicação COCO PENSA e COCO SE MEXE

cocoetcocosport-coco-app-criança-educacional-educacional-crianças-lúdico-cultural-jogos-jogo-aplicação-cerebral-tablet-smartphone-

Apoio às crianças com autismo

E PARA MAIS INFORMAÇÕES

COCO, PARA CRIANÇAS AUTISTAS

 

COCO é um programa adaptado para crianças autistas que oferece uma coleção de jogos educativos e cognitivos. Os níveis de dificuldade crescentes permitem que as crianças progridam ao seu próprio ritmo. É também essencial fazer uma pausa desportiva a cada 15 minutos de tempo de ecrã para evitar a dependência.

ACOMPANHA UMA CRIANÇA AUTISTA

Neste guia, vamos dar-te conselhos práticos sobre como ajudar uma criança com autismo e como estimular e criar laços com ela. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados.

Ler

FERNANDO, PARA ADULTOS AUTISTAS

Adaptado a adultos com autismo, o programa FERNANDO propõe uma série de jogos para desenvolver os conhecimentos, melhorar a concentração e reforçar as capacidades mentais. FERNANDO foi concebido para ser acessível a todos, mantendo-se ao mesmo tempo atento à saúde mental.

APOIAR UM ADULTO COM AUTISMO

Neste guia, damos-te conselhos práticos sobre como apoiar, estimular e criar laços com um adulto com autismo. Conselhos úteis para o dia a dia para facilitar a vida dos familiares e profissionais que prestam cuidados. Exercícios para trabalhar todos os aspectos.

Outros artigos que te podem interessar: