Rate this post

A inibição é um processo cognitivo complexo que nos permite suprimir ou controlar os nossos impulsos, reacções emocionais e comportamentais. A inibição desempenha um papel crucial na nossa capacidade de regular o nosso comportamento e de nos adaptarmos a situações sociais complexas.

 

Definição de inibição

 

A inibição pode ser definida como a capacidade de suprimir uma resposta ou acção automática a favor de uma que seja mais adequada à situação. A inibição pode ser aplicada a diferentes níveis de comportamento, desde a supressão de uma resposta motora até à supressão de uma resposta emocional ou comportamental.

A inibição é um processo cognitivo que se desenvolve gradualmente ao longo da infância e da adolescência. As crianças tendem a ter mais dificuldade em inibir os seus impulsos do que os adultos, o que pode levar a um comportamento impulsivo ou agressivo.

 

Inibição e capacidades motoras

A inibição é essencial para a coordenação motora. Por exemplo, quando jogamos ténis, temos de inibir o impulso de bater a bola assim que ela está ao nosso alcance. Em vez disso, temos de esperar pelo momento certo para acertar na bola. As perturbações por inibição podem levar a dificuldades em tarefas que requerem uma coordenação motora precisa.

As perturbações de inibição motora podem manifestar-se de diferentes formas. A síndrome de Tourette, por exemplo, é uma perturbação neurológica caracterizada por tiques motores e vocais involuntários. As pessoas com esta doença têm dificuldade em inibir os seus tiques, o que pode levar a comportamentos socialmente inapropriados.

 

inibição_desportiva_motora

Além disso, as perturbações de coordenação motora podem também estar associadas a perturbações de inibição. As crianças com TDAH têm frequentemente dificuldade em coordenar os seus movimentos, o que pode levar a dificuldades em actividades físicas como a dança ou o desporto.

Inibição e atenção

 

A inibição também é importante para a atenção e concentração. Quando confrontados com distracções, precisamos de inibir o impulso para responder a estas distracções e manter a nossa atenção na tarefa em mãos. Os distúrbios de inibição podem levar a dificuldades de concentração e atenção sustentada.

O TDAH é um distúrbio normalmente associado a dificuldades de inibição e concentração. As pessoas com TDAH têm frequentemente dificuldade em inibir os seus impulsos, o que pode levar a interromper outros ou a ter dificuldade em esperar pela sua vez. Além disso, as pessoas com TDAH têm frequentemente dificuldade em manter a sua atenção numa determinada tarefa, o que as pode tornar ineficazes nas tarefas escolares ou de trabalho.

 

 

 

Inibição e comportamento

A inibição é também crucial para o controlo do nosso comportamento social. Por exemplo, precisamos de inibir o impulso para dizer algo inadequado ou para reagir agressivamente quando uma situação social se torna tensa. Os distúrbios de inibição podem levar a um comportamento impulsivo ou agressivo. As pessoas com distúrbios de inibição podem ter dificuldade em controlar a sua raiva, frustração e impulsividade. Por exemplo, algumas pessoas com distúrbios de personalidade limítrofes podem ter dificuldade em inibir o comportamento impulsivo e em controlar-se emocionalmente.

Os distúrbios de inibição também podem estar ligados a distúrbios alimentares como a anorexia ou bulimia. As pessoas com estas perturbações têm frequentemente dificuldade em inibir os seus impulsos alimentares, o que pode levar a comportamentos alimentares extremos.

agressividade_pessoal_conservada

Perturbações relacionadas com a inibição

 

Os distúrbios de inibição podem ter efeitos devastadores na vida diária de uma pessoa. As perturbações por inibição podem levar a dificuldades nas relações sociais, nas actividades de trabalho e nas actividades da vida quotidiana.

O distúrbio de personalidade limítrofe está também associado a dificuldades de inibição. As pessoas com esta desordem têm frequentemente dificuldade em controlar a sua impulsividade emocional e em manter relações sociais estáveis.

 

Como melhorar a inibição

 

As perturbações por inibição podem ser melhoradas com intervenções psicológicas e comportamentais. As terapias cognitivas e comportamentais podem ajudar as pessoas a desenvolver estratégias para regular os seus impulsos e melhorar o seu controlo emocional.

Intervenções baseadas no cuidado podem também ajudar as pessoas a melhorar a sua capacidade de inibir os impulsos e controlar o seu comportamento. As técnicas de atenção podem ajudar as pessoas a tomarem consciência das suas emoções e impulsos e a regulá-los eficazmente.

O exercício físico também pode ajudar a melhorar a inibição. O exercício regular pode ajudar a melhorar a coordenação motora e a reduzir o comportamento impulsivo.

Além disso, é importante manter um estilo de vida saudável e equilibrado. As pessoas devem esforçar-se por comer bem, dormir o suficiente e gerir eficazmente o stress. Um estilo de vida saudável pode ajudar a melhorar a regulação emocional e a reduzir o comportamento impulsivo.

Em conclusão, a inibição é um processo cognitivo complexo que é essencial para o controlo do nosso comportamento e emoções. As perturbações por inibição podem levar a dificuldades na coordenação motora, concentração, controlo da impulsividade e comportamento social. No entanto, é possível melhorar a inibição através de exercícios cognitivos e comportamentais.

FERNANDO, para trabalhar na inibição para adultos

 

Fernando é uma aplicação com mais de 30 jogos cognitivos e culturais para trabalhar as funções cognitivas, tais como a inibição. A aplicação é adequada para adultos a nível de prevenção ou com perturbações ligeiras de autismo ou pós-choque. As actividades podem ser adaptadas às suas necessidades e pode acompanhar o seu progresso ao longo do tempo directamente na candidatura. Além disso, pode encontrar programas de formação para melhorar uma ou mais funções cognitivas, com jogos recomendados, dicas práticas e estratégias.

Outros artigos que lhe possam interessar: