O que é presbycusis?

Rate this post

Nota uma ligeira perda de audição no seu avô ou na sua avó? Falam mais alto, pedem que se repitam palavras ou frases, já não participam activamente nas discussões de grupo e não têm capacidade de resposta quando se lhes dirige? O seu ente querido pode estar a sofrer de presbycusis, uma perda auditiva relacionada com a idade.

O que é presbycusis? Quais são as suas causas e sintomas? O que pode ser feito a este respeito? Neste artigo, descubra todas as respostas a estas perguntas.

As principais características da presbycusis

Esta é uma forma de surdez bilateral que ocorre principalmente em pessoas com mais de cinquenta anos de idade. Manifesta-se por uma perda de audição progressiva. É considerado um fenómeno natural, uma vez que está relacionado com a idade. O início da presbiacusis deve-se simplesmente ao facto de, à medida que envelhecemos, a nossa capacidade auditiva se cansar e perder o seu desempenho.

Na maioria dos casos, existe uma deficiência auditiva nas frequências altas, o que torna difícil a sua compreensão. No início, as pessoas com presbiacusis têm dificuldade em ouvir consoantes fricativas e assobiantes. A longo prazo, os sons graves também serão afectados e os doentes acabarão por sofrer de zumbido.

 

Como é que a presbycusis se manifesta?

É inteiramente possível tratar os sintomas se estes forem detectados o mais cedo possível. Deve notar-se, contudo, que esta condição não se manifesta da mesma forma em todos os indivíduos. Mais uma razão para escrutinar cada sinal. De facto, algumas pistas nunca estão erradas. Aqui estão algumas das coisas que se podem fazer para identificar presbycusis.

Para uma melhor percepção sonora, as pessoas com presbycusis tendem a aumentar o volume da televisão, rádio e telefone. Este volume irá aumentar à medida que as células auditivas forem afectadas.

 

  • Aumento do volume na voz

Também notará que as pessoas com presbycusis falam muitas vezes muito alto. A razão é que eles têm dificuldade em perceber os sons projectados. De facto, a privação sensorial de sons graves e agudos desenvolverá um reflexo nas pessoas com presbiacusis, fazendo-as falar mais alto do que o normal.

 

  • Repetição de palavras e frases

Quando falar com pessoas com esta condição, espere que elas repitam frequentemente as suas palavras e frases. A explicação é simples: presbycusis resulta muitas vezes em pessoas que ouvem mas não compreendem por causa da privação sensorial.

 

  • Diminuição da participação nas discussões de grupo

As discussões de grupo são cansativas para os afectados, uma vez que têm de fazer um grande esforço para detectar o que os outros estão a dizer. Por conseguinte, tenderão a não responder às discussões de grupo e preferirão claramente ficar longe de todo o burburinho.

 

  • Tinnitus

As pessoas com perda auditiva neurossensorial sofrem frequentemente de tinnitus. Esta condição resulta numa sensação de zumbido ou formigueiro que é experimentada apenas em sons externos. Este sentimento é acentuado pelos ruídos de um determinado ambiente.

Como comunicar com uma pessoa com presbycusis?

É óbvio que a comunicação com uma pessoa com deficiência auditiva é um pouco mais complicada.
Deve-se admitir que esta desordem é um fardo não só para o indivíduo, mas também para aqueles que lhe são próximos.
A fim de não os isolar, devem ser adoptados métodos de comunicação apropriados.

Para evitar repetir sempre as suas frases, tenha o reflexo de falar alto e claro. Cuidado! Falar em voz alta não significa gritar. Esta acção pode ofender a pessoa com presbycusis e causar um efeito adverso na sua capacidade de ouvir.

Tente também não falar demasiado depressa e explicar as suas ideias em frases simples e claras, para que a pessoa possa compreender instantaneamente. Na medida do possível, elimine toda a poluição sonora que possa afectar a sua comunicação (televisão, rádio, gritos de crianças, etc.). Seja gentil, paciente e um bom ouvinte.

 

Como evitar presbycusis?

Uma vez que as células auditivas se deterioram, não há forma de as reparar. Este fenómeno é irreversível.
No entanto, estão disponíveis várias soluções, dependendo do estado da sua audição. Também deve saber que a prevenção da perda auditiva é bastante possível com bons hábitos.

  • Formação auditiva

A formação auditiva consiste em aprender a ouvir e a compreender os sons e ruídos à nossa volta. Pode fazer estes exercícios por si mesmo ou com a ajuda de uma aplicação móvel.

Outro exercício: participar em discussões de grupo e tentar ser o mais reactivo possível.

  • Um estilo de vida saudável

Para manter a sua saúde auditiva, pratique algum desporto. Em particular, concentrar-se nos desportos que são calmantes, promovem a circulação sanguínea e melhoram a saúde cardiovascular, como o yoga ou a meditação. Evitar também comer alimentos demasiado gordos e aumentar o nível de mau colesterol no sangue. O mesmo se aplica ao álcool, o que aumenta a deterioração da capacidade auditiva.

Certos alimentos contendo vitaminas B3 e B6 e antioxidantes serão os seus melhores aliados na manutenção de uma boa saúde auditiva.

 

Quando fazer um teste de audição?

Antes que a sua audição se deteriore, deve tomar precauções o mais cedo possível. Embora seja uma desordem que aumenta com a idade, nada o impede de adoptar reflexos para evitar usar aparelhos auditivos, em parte ou na totalidade.

Idealmente, deverá consultar um otorrinolaringologista ou um profissional de saúde auditiva todos os anos para testes de audição. Estes testes são utilizados para medir a extensão da situação e para ver se existe uma deficiência auditiva. Assim que notar uma mudança nos seus hábitos auditivos, consulte um médico. O mesmo se aplica se tiver tomado medicamentos ototóxicos, se tiver familiares com problemas auditivos ou se estiver exposto a ruído durante todo o dia.

 

Usar um aparelho auditivo

O aparelho auditivo é a solução final para corrigir a capacidade auditiva das pessoas afectadas pela presbiacusis. Este dispositivo permitir-lhes-á ouvir novamente e compreender sons. Quanto mais cedo o dispositivo for usado, mais eficaz será. Para descobrir qual o melhor aparelho auditivo para si, é melhor consultar um especialista.

Falando de ideal, a Audição Ideal é a solução para encontrar a melhor solução, pois é uma marca que oferece a todas as pessoas com problemas auditivos o dispositivo perfeito para voltar a uma vida “normal” graças a uma vasta gama de aparelhos auditivos adaptados.

Ideal Auditif-Signia-Xperience-product-range_wave-pattern_2021-09_1920x1080

A Audição Ideal acompanha-o em todas as fases do processo de adaptação, desde o teste auditivo até à adaptação do aparelho auditivo. E não é segredo que o preço de um aparelho auditivo pode, por vezes, ser assustador e desencorajador. É por isso que a marca está empenhada em oferecer os melhores preços para os melhores produtos.

Sabe agora mais sobre presbycusis e aparelhos auditivos. É importante lembrar que os problemas auditivos podem afectar qualquer pessoa, em qualquer idade. Não deve, portanto, hesitar em recorrer a um especialista.

A ligação entre a memória e a audição

 

A área do cérebro concebida para a audição está directamente ligada às áreas concebidas para a memorização. Por exemplo, as pessoas com dificuldades auditivas tendem a ter menos capacidades de memória do que as outras. Isto porque a pessoa é incapaz de ouvir e compreender o que se passa à sua volta e não pode reter informação importante.

Por conseguinte, é importante detectar um problema auditivo precocemente, a fim de intervir o mais rapidamente possível. Esta intervenção impede a criação de outras áreas de fragilidade, tais como na memória.

Além disso, a diminuição da interacção com o mundo exterior e outros acentua este problema. A pessoa começa a isolar-se, já não participa em discussões e não partilha momentos com os seus entes queridos. Isto irá criar uma situação em que a pessoa não está a receber quaisquer estímulos. Quando o nosso cérebro não recebe estímulos, ele pára lentamente de andar, faz menos esforço. A partir daí, as funções cognitivas tornam-se mais frágeis.

A intervenção sobre dificuldades auditivas é muito importante, mas outras funções cognitivas também devem ser treinadas. O treino contínuo da memória mantém o cérebro desperto.

E para melhorar a sua memória, escolha o seu programa de reabilitação

UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO OU DE PERDA MENTALLIGEIRA

JOE

Joe Coach Cerebral Entrainement Cerebral Et Memoire,  Jogos de memória e treino do cérebro

UM PROGRAMA DE APOIO ÀS PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER

CARMEN

Jeux De Memoire Dynseo Edith Seniors Alzheimer Personnes Agees,  Jogos de memória e treino do cérebro

Outros artigos que lhe possam interessar:

Optimized by Optimole