Rate this post

 

 

As funções cognitivas, um conceito central em psicologia e neurociência, compreendem um conjunto de processos mentais complexos que nos permitem perceber, pensar, recordar e interagir com o nosso ambiente. Estas funções desempenham um papel essencial na forma como processamos a informação e tomamos decisões. Neste artigo, vamos explorar as principais funções cognitivas e analisar o seu funcionamento.

 

 

 

As diferentes funções cognitivas

 

As cinco principais funções cognitivas – perceção, atenção, memória, linguagem e resolução de problemas – são essenciais para todos nós na nossa vida quotidiana. Ajudam-nos a compreender o mundo à nossa volta, a comunicar, a aprender e a tomar decisões.

 

 

Perceção

A perceção é a forma como o nosso cérebro processa a informação sensorial do ambiente. A visão, a audição, o tato, o paladar e o olfato são canais sensoriais que contribuem para a nossa perceção do mundo. Estudos como os realizados pela neurologia cognitiva mostraram como diferentes partes do cérebro trabalham em conjunto para interpretar e dar sentido a esta informação.

 

 

Atenção

A atenção desempenha um papel crucial na seleção de informações relevantes a partir do fluxo constante de estímulos. A investigação em psicologia cognitiva demonstrou que a nossa capacidade de atenção é limitada, mas pode ser melhorada através de técnicas de concentração e de focalização.

 

 

Memória

A memória permite-nos armazenar e recuperar informações. Divide-se em diferentes tipos, como a memória a curto prazo e a memória a longo prazo. Os progressos da neurociência permitiram uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos na formação e consolidação da memória.

 

 

Língua

A língua é a capacidade de comunicar através de símbolos e regras. A investigação em linguística e neurociência tem vindo a esclarecer a forma como o cérebro processa a linguagem, desde o reconhecimento dos sons até à compreensão sintáctica e semântica.

 

Funções executivas

As funções executivas são o condutor do cérebro. Incluem um conjunto de capacidades mentais superiores que nos ajudam a planear, tomar decisões, resolver problemas e controlar os nossos impulsos. Estas competências cruciais permitem-nos navegar no nosso quotidiano de forma eficiente e adaptável. As funções executivas incluem elementos como a flexibilidade cognitiva, a memória de trabalho, o autocontrolo e a gestão do tempo. São essenciais para atingirmos os nossos objectivos, processarmos a informação de forma eficiente e agirmos de forma ponderada em diferentes situações. A investigação continua a revelar a importância das funções executivas em todos os aspectos da nossa vida, desde a educação à carreira e à interação social.

 

 

 

 

Uma lista completa de funções cognitivas

Segue-se uma lista pormenorizada das funções cognitivas. Para os profissionais de saúde, é crucial uma compreensão mais profunda destas funções. Os profissionais de saúde devem dominar estas competências não só para os seus próprios fins, mas também para avaliar e tratar os doentes. Por exemplo, os profissionais de saúde devem ser capazes de discernir variações subtis na perceção visual, manter a atenção durante longos períodos e utilizar a memória de curto prazo para recordar pormenores importantes. A língua é particularmente importante para os médicos, uma vez que uma comunicação correcta é essencial para fazer diagnósticos e explicar os tratamentos aos doentes. Além disso, a resolução sofisticada de problemas é parte integrante do processo de diagnóstico e de tomada de decisões no domínio dos cuidados de saúde. Um conhecimento aprofundado destas funções cognitivas permite aos profissionais de saúde oferecer cuidados de elevada qualidade e personalizados a cada doente.

Atenção

  • Reconhecimento de estímulos importantes
  • Reconhecimento de estímulos de distração
  • Concentração da atenção
  • Atenção selectiva, dividida e sustentada

 

Funções executivas

  • Flexibilidade mental
  • Gerir os pensamentos e as emoções
  • Inibição
  • Resolução de problemas

 

Agilidade mental

  • Conclusão harmoniosa das actividades
  • Tempo de resposta
  • Automatização de tarefas
  • Velocidade de reconhecimento do estímulo

Memória de trabalho

 

  • Processamento imediato da informação
  • Operações mentais
  • Gestão da informação
  • À procura de uma solução

 

Memória semântica

 

  • Memorização de conhecimentos
  • Memorização de vocabulário
  • Criar conceitos abstractos
  • Interpretação de gestos e símbolos

Memória autobiográfica

  • Memorização de conhecimentos autobiográficos
  • Criar contextos ambientais
  • Representações mentais
  • Memorização de pormenores sensoriais e perceptivos

Memória episódica

 

  • Armazenamento de sequências temporais
  • Memorização de conhecimentos espaciais
  • Representação de memórias pessoais
  • Integração de diferentes memórias sensoriais

Gnose visual e memória visual

 

  • Identificação de objectos
  • Identificação das pessoas
  • Análise dos objectos e do ambiente
  • Movimentos oculares organizados

 

Pistas visuais-espaciais

  • Representação espacial
  • Criar imagens mentais
  • Avaliação à distância
  • Orientação no espaço

Gnose auditiva e memória auditiva

 

  • Armazenar sons
  • Memorização de palavras
  • Compreensão da linguagem oral
  • Armazenamento imediato de informações sonoras

 

A importância do treino das funções cognitivas

As funções cognitivas não são apenas processos passivos que ocorrem no nosso cérebro. Podem também ser melhorados e reforçados através de um treino mental regular. Esta secção explica por que razão é importante manter e estimular as nossas funções cognitivas.

 

1. Plasticidade cerebral

O nosso cérebro tem uma plasticidade notável, o que significa que se pode remodelar em resposta a novas experiências e à aprendizagem contínua. Ao treinarmos as nossas funções cognitivas, estimulamos esta plasticidade, permitindo que o cérebro desenvolva novas ligações e reforce as vias neuronais existentes.

 

2. Melhoria da memória

Os exercícios de memória podem reforçar a capacidade de memorizar e recuperar informações. Estudos demonstraram que técnicas como a repetição espaçada e a mnemónica podem melhorar a retenção de informação a longo prazo.

 

3. Aumento da atenção e da concentração

O treino cognitivo pode aumentar a nossa capacidade de atenção sustentada, o que pode ser especialmente benéfico no nosso mundo moderno, cheio de distracções constantes.

 

4. Estimular a criatividade

Os exercícios cognitivos que incentivam o pensamento divergente podem estimular a criatividade, encorajando o cérebro a explorar novas ideias e associações.

 

5. Preservação das funções cognitivas com a idade

A investigação sugere que o treino mental regular pode ajudar a preservar as funções cognitivas à medida que envelhecemos. Isto pode ajudar a reduzir o risco de perturbações cognitivas relacionadas com a idade, como a demência.

 

6. Melhorar o desempenho cognitivo específico

Ao atuar sobre funções cognitivas específicas, como a resolução de problemas ou a velocidade de processamento, podemos melhorar o nosso desempenho em áreas específicas da vida quotidiana, seja no trabalho, na escola ou nos tempos livres.

 

O treino cognitivo é, por conseguinte, uma estratégia poderosa para melhorar o nosso funcionamento mental e a nossa qualidade de vida. Ao adotar exercícios cognitivos variados e estimulantes, podemos aproveitar o potencial do nosso cérebro para obter resultados positivos e duradouros.

 

 

 

Dicas e truques para treinar as funções cognitivas

O reforço das funções cognitivas não exige necessariamente um investimento considerável de tempo ou de recursos. Ao incorporar alguns hábitos simples na sua rotina diária, pode dar um impulso significativo ao seu cérebro. Eis algumas dicas e truques para treinar as funções cognitivas:

1. Envolver-se em actividades mentalmente estimulantes

Participar em actividades que exijam raciocínio e resolução de problemas. Os puzzles, os jogos de tabuleiro, as palavras cruzadas e as adivinhas são excelentes formas de estimular o cérebro enquanto se diverte.

2. Praticar a meditação e a atenção plena

A meditação regular pode ajudar a melhorar a concentração e a atenção. Ao concentrar-se na respiração e ao deixar passar os pensamentos que o distraem, a capacidade de se manter concentrado é reforçada.

top-giveaways-grandes-netos-contra-idade-ideia-desportiva-top-dicas-extraordinarias-desportivas-criancas-adultos-super-coco (1)

 

3. Leitura diversificada

Exponha-se a diferentes tipos de leitura: ficção, não ficção, artigos científicos ou revistas. A leitura aumenta o vocabulário, estimula a criatividade e expõe-nos a novas ideias.

 

 

4. Aprender algo novo

Escolha uma competência que sempre quis aprender, como tocar um instrumento musical ou falar uma nova língua. A aprendizagem contínua incentiva a criação de novas ligações neuronais.

 

livro de leitura do hospital pediátrico

5. Exercitar a memória

Faça jogos de memória simples, como tentar memorizar uma lista de objectos ou pessoas que conheceu. Podem também ser utilizadas técnicas de memória, como o método de localização ou a associação mental de imagens.

Pode utilizar o programa FERNANDO , o seu treinador cerebral, que lhe permite escolher jogos de acordo com a função cognitiva escolhida: perceção, atenção, memória, linguagem, …

 

 

6. Exercício regular

A atividade física não só afecta o corpo, como também tem um impacto positivo no cérebro. O exercício físico aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro e estimula o crescimento de novas células nervosas.

fernado memoria

 

7. Fazer pausas regulares

Faça pausas regulares durante as actividades mentalmente exigentes. Uma pequena pausa permite que o cérebro descanse e recupere, melhorando assim a eficiência a longo prazo.

 

 

 

8. Alimentação saudável

Uma dieta equilibrada rica em antioxidantes, ácidos gordos ómega 3 e vitaminas B é benéfica para a saúde do cérebro. Alimentos como o peixe gordo, os frutos secos, os legumes verdes e a fruta são particularmente recomendados.

dorminhoco

9. Compromisso social

A interação social estimula o cérebro, exigindo capacidades de comunicação e empatia. Participar em debates, juntar-se a grupos de interesse e passar tempo com amigos pode ser útil.

 

10. Sono de qualidade

O sono é crucial para a consolidação da memória e para a recuperação do cérebro. Certifique-se de que dorme o suficiente para que o seu cérebro possa funcionar no seu melhor.

dorminhoco

 

Ao incorporar estas dicas e truques na sua rotina diária, pode treinar significativamente as suas funções cognitivas. Lembre-se que a consistência é a chave: quanto mais praticar estes hábitos, mais verá melhorias duradouras nas suas capacidades mentais.

Um treinador cerebral digital para o ajudar a apoiar as suas funções cognitivas

 

No DYNSEO, estamos empenhados em desenvolver programas de treino da memória de alto rendimento para treinar todas as funções cognitivas. Abaixo encontrará programas pormenorizados para a formação de funções específicas.

Os nossos programas foram desenvolvidos em colaboração com profissionais de saúde e a nossa abordagem baseia-se na validação científica e em estudos de referência no domínio das neurociências.

Studiclinici-studio-ricerca-benessere-dynseo

Eis alguns programas de treino do cérebro para toda a família

FERNANDO

Uma versão para adultos e idosos na prevenção

fernando memoria

CARMEN

Uma versão fácil e adaptada para os idosos

carmen-app-memória-senior-alzheimer-coach-educação-jogo-para-adulto

Outros artigos que podem ser do seu interesse: